O cuidado com a língua

Tiago 3:2 “Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo”.

VERDADE PRÁTICA

A nossa língua pode destruir vidas, portanto, sejamos cuidadosos com o que falamos.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Sl 12.3: A soberba da língua 
Terça - Pv 6.16-19: A língua mentirosa 
Quarta - Sl 15.3: A língua difamadora 
Quinta - Sl 34.13: Guarde a língua do mal 
Sexta - Sl 66.16,17: Exaltemos a Deus com a nossa língua 
Sábado - Sl 119.172: Anunciando a Palavra de Deus

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Tiago 3.1-12.

1 - Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo. 
2 - Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo. 
3 - Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo. 
4 - Vede também as naus que, sendo tão grandes e levadas de impetuosos ventos, se viram com um bem pequeno leme para onde quer a vontade daquele que as governa. 
5 - Assim também a língua é um pequeno membro e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia. 
6 - A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno. 
7 - Porque toda a natureza, tanto de bestas-feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana; 
8 - mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. 
9 - Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus: 
10 - de uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. 
11 - Porventura, deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? 
12 - Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas ou a videira, figos? Assim, tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.

INTRODUÇÃO

Nessa lição veremos o quanto o crente deve ser cuidadoso na maneira de falar com os outros. Tema do terceiro capítulo da epístola, o meio-irmão do Senhor escreve sobre um pequeno membro do nosso corpo: a língua. Este acanhado, mas poderoso órgão humano, pode destruir ou edificar a vida das pessoas. Por isso, a nossa língua deve ser controlada pelo Espírito Santo a fim de sermos canais de bênçãos para aqueles que nos ouve.

I. A SERIEDADE DOS MESTRES (Tg 3.1,2)

  1. O rigor com os mestres. A palavra hebraica para mestre é rabbi, cujo significado é “meu mestre”. Os mestres eram honrados em toda a comunidade judaica, gozando de grande respeito e prestígio. Na realidade, o ofício rabínico era uma das posições mais almejadas pelos judeus, pois era notória a influência dos mestres sobre as pessoas (Mt 23.1-7). Daí o porquê de muitos ambicionarem tal posição. E é exatamente alarmado por isso que Tiago inicia então o capítulo três, referindo-se aos que acalentavam essa aspiração, visando obter prestígio, privilégio e fama, a que tivessem cuidado (v.1). Antes de almejarmos o ministério da Palavra devemos estar cônscios de nossa responsabilidade e de que um dia o Altíssimo nos pedirá conta dos atos e dos talentos a nós dispensados.
  2. A seriedade com os mestres na igreja (v.1). Em Mateus 5.19 lemos sobre a advertência de Jesus quanto à seriedade e a fidelidade dos discípulos no ensino do Evangelho. Devido a sua importância, Jesus estabeleceu o ensino como um meio de propagar o Evangelho a toda criatura e, assim, ordenou a sua Igreja que fizesse seguidores do Caminho pelo mundo (Mt 28.19,20). É interessante notarmos o paralelo que Tiago faz em relação à advertência proferida por Jesus em tempo anterior: Quem foi vocacionado para ser mestre não pode ter o “espírito” dos fariseus, mas o de Cristo (Mc 12.38-40).
  3. Perfeição que domina o corpo (v.2). Quem domina ou controla a sua língua, sem cometer delitos (excessos, descontroles, julgamentos precipitados, difamações, etc.), sem dúvida, é “perfeito”. O controle da língua significa que a pessoa tem a capacidade de controlar as demais áreas da vida, pois a língua é poderosa “para também refrear todo o corpo”. Quem tem domínio sobre a língua, tem igualmente o coração preservado, pois a boca fala do que o coração está cheio. Discipline-se! Faça um propósito com Deus e consigo mesmo: não empreste os seus lábios para fazer o mal.

II. A CAPACIDADE DA LÍNGUA (Tg 3.3-9)

  1. As pequenas coisas no governo do todo (vv.3-5). Tiago faz uma analogia acerca da nossa capacidade de usarmos a língua. Ele remete-nos ao exemplo do leme dos navios e do freio dos cavalos. Apesar de tais objetos serem pequenos, porém, são fundamentais para controlar e dirigir transportes grandes e pesados. Assim, o apóstolo nos mostra que, apesar de pequena, a língua é capaz de realizar grandes empreendimentos — edificantes ou destrutivos. Como um pequeno membro é capaz de “acender um bosque inteiro”?
  2. “A língua também é um fogo” (vv.6,7). Quantas pessoas não frequentam mais as nossas reuniões porque foram feridas com palavras? Você já se fez essa pergunta? É preciso usar nossa língua sabiamente, pois “a morte e a vida estão no poder da língua [...]” (Pv 18.21). Grande parte dos incêndios nas florestas inicia através de uma pequena fagulha. Todavia, essa faísca alastra-se podendo destruir grandes áreas de vegetação. Da mesma forma, são as palavras por nós pronunciadas. Se não forem proclamadas com bom senso, muitas tragédias podem acontecer.
  3. Para dominar a língua. Ainda no versículo sete, Tiago faz outra ilustração em relação ao tema do uso da língua. Ele mostra que a natureza humana conseguiu domar e adestrar as bestas-feras, as aves, os répteis e os animais do mar. Mas a língua do ser humano até hoje não houve quem fosse capaz de dominar. Por esforço próprio o homem não terá forças para domar o seu desejo e as suas vontades. Mas quando Deus passa a nos governar, a língua do crente deixa de ser um órgão de destruição e passa a ser um instrumento poderoso e abençoador, usado para o louvor da glória do Eterno. A fim de dominar a nossa língua, devemos entregar o nosso coração inteiramente ao Senhor, “Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca” (Mt 12.34).

III. NÃO PODEMOS AGIR DE DUPLA MANEIRA (Tg 3.10-12)

  1. Bênção e maldição (v.10). Tiago até reconhece a possibilidade de alguém usar a língua de modo ambíguo. Entretanto, deve a mesma língua que expressa o amor a Deus, deixar-se usar para destruir pessoas? Apesar de o meio-irmão do Senhor dizer que tudo que existe obedece sua própria natureza, se experimentamos o novo nascimento, tornamo-nos uma nova criação, isto é, adquirimos outra natureza. Esta tem de ser manifesta em nosso falar e agir. Portanto, se você foi transformado pela graça de Deus mediante a fé de Cristo, a sua língua não pode ser um instrumento maligno. A fofoca, a mentira, a calúnia e a difamação são obras carnais e não podem ter lugar em nossa vida.
  2. Exemplos da natureza (vv.11,12). O líder da igreja de Jerusalém usa dois exemplos da natureza para apontar a incoerência de agirmos duplamente. Tiago questiona a possibilidade de a fonte que jorra água doce jorrar igualmente água salgada. Para provar a impossibilidade natural deste fenômeno, o meio-irmão do Senhor pergunta, de maneira retórica, se uma figueira poderia produzir azeitonas, e a videira, figos. Naturalmente, a resposta é um sonoro não! Portanto, a pessoa que bendiz ao Senhor não maldiz o próximo. Se Deus é amor, como podemos odiar alguém?
  3. Uma única fonte. Aquele que bebe da água da vida não pode fazer jorrar água para morte. Quem bebe da água limpa do Cristo de Deus não pode transbordar água suja. Portanto, a palavra proferida por um discípulo de Cristo deve edificar os irmãos, dar graça aos que ouvem e sarar quem se encontra ferido.

CONCLUSÃO

Uma vez Salomão disse que a boca do justo é manancial de vida (Pv 10.11), e que as palavras da boca do homem são águas profundas (Pv 18.4). Tomemos o devido cuidado com a maneira como usamos a nossa língua. Não esqueçamos que, no dia do Juízo, daremos conta a Deus de toda palavra ociosa proferida pela nossa boca (Mt 12.36).

Fonte:http://escoladominical.assembleia.org.br/licao-8-o-cuidado-com-a-lingua/

DIA 31/10 UMA DATA HISTÓRICA: 500 ANOS DA REFORMA PROTESTANTE E DO EVANGELHO DE JESUS

saiba mais...

Assista ao vídeo sobre a Reforma Protestante:

Reforma Protestante.mp4 (6,7 MB)

DIA 31/10 UMA DATA HISTÓRICA. 500 ANOS DA REFORMA PROTESTANTE E DO EVANGELHO DE JESUS 
 
A Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão culminado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, protestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco Solas, a saber:
 
Sola Fide - Somente a Fé
 
Sola Scriptura - somente a Escritura 
 
Solus Christus - somente Cristo
 
Sola Gratia - somente a Graça
 
Soli Deo Gloria - Glória somente a Deus
 
 
A Reforma Protestante foi iniciada por Martinho Lutero, embora tenha sido motivada primeiramente por razões religiosas, também foi impulsionada por razões políticas e sociais.
 
Sem duvida nenhuma o nome de Lutero é um dos mais lembrados neste período, mas nesta galeria há mais nomes importantes que, às vezes esquecidos, porém com grande importância em suas contribuições no movimento, deixaram legado, os Pré-Reformadores, e isso se reflete e se conhece historicamente por Reforma Protestante.
 
Esse período vivido pelos pré-reformadores, isto é, pessoas que lutaram pela reforma da igreja, ficou conhecido como a fase da "Igreja Deformada" outros ainda conhecem como a "Idade das trevas" ou "Era das Trevas" sendo este termo abandonado por muitos pesquisadores.
 
Na Idade Média, quem mandava na Igreja era o Papa. Ele tinha plenos poderes para instituir e derrubar reis e reinos. Foi criado o “clero”, que era uma liderança muito mais política que espiritual, e mantinha uma distância enorme do povo. O clero não tinha nada a ver com os apóstolos que viviam em comunhão com o povo.
 
Alguns dos erros cometidos pela Igreja que a fez se distanciar da Palavra de Deus:
380 d.C. – Oração pelos mortos
535 d.C. – Instituição das procissões
538 d.C. – Celebração da missa de costa para o povo
757 d.C. – Adoração de imagens
884 d.C. – Canonização de santos
885 d.C. – Adoração da “Virgem Maria”
1022 d.C. – Legalização da penitência por dinheiro
1215 d.C. – Adoção da confissão auricular (confessar ao padre)
1470 d.C. – Invento do rosário.

 

ALERTA!! PROTEJA SUA FAMÍLIA CONTRA A IDEOLOGIA DE GÊNERO

Precisamos nos unir e orar por nosso País, por nossas famílias!
ALERTA!! Em um vídeo do Procurador Regional da República, GUILHERME SCHELB:
Pais, vocês não devem aceitar que as escolas ensinem ideologia de gênero a seus filhos. Como preconiza o Artigo 229 da Constituição Federal do Brasil, o dever de EDUCAR os filhos é dos PAIS, e as escolas, diretores e professores não podem ir contra a educação que vocês PAIS ensinam em casa!
Se a escola do seu filho está tentando ir contra a sua educação e ensinando ao seu filho ou sua filha que eles não têm um sexo definido, vocês podem APRESENTARr para eles uma NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL, disponivel abaixo e também no site www.bit.ly/protegerfamilias.
JÁ TEM ESCOLAS QUE FORAM CONDENADAS A INDENIZAR PAIS QUE ENTRARAM NA JUSTIÇA EM R$ 30.000,00 (TRINTA MIL REAIS). SAIBA MAIS

 

FORMATO EM WORD

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

ESTRATÉGIA DE ORAÇÃO .pdf

A importância do jejum e da oração

Na vida de um cristão e no seu relacionamento com Deus, o jejum e a oração são duas práticas essenciais.

Orar é conversar com Deus. É impossível ter intimidade com uma pessoa se não passamos tempo falando com ela. Com Deus é igual: se não separamos tempo todos os dias para falar com Deus, o nosso relacionamento com Ele vai esfriar.

Jejuar significa deixar de comer e/ou beber durante um determinado período de tempo enquanto se busca a presença de Deus. O jejum não muda Deus (porque Deus é imutável, sempre bom, fiel, justo e amoroso), mas muda quem jejua.

O jejum é um mandamento?

Enquanto a oração é obrigatória, o jejum é opcional para um cristão. Para receber a salvação, qualquer pessoa tem que orar, ou seja, falar com Deus, reconhecendo o seu pecado e recebendo o sacrifício de Jesus na cruz.

Não é preciso jejuar para ser salvo. No entanto, vemos na Bíblia que o jejum está associado a uma unção especial do poder de Deus na vida de quem jejua. Algumas pessoas não podem jejuar por motivos médicos, mas quem pode, deve reservar um tempo de jejum para buscar a face de Deus.

Jejum e Oração na Bíblia

Mateus 6:16-18

"Quando jejuarem, não mostrem uma aparência triste como os hipócritas, pois eles mudam a aparência do rosto a fim de que os outros vejam que eles estão jejuando. Eu digo verdadeiramente que eles já receberam sua plena recompensa. Ao jejuar, arrume o cabelo e lave o rosto, para que não pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê em secreto. E seu Pai, que vê em secreto, o recompensará.

Marcos 9:29

Ele respondeu: "Essa espécie só sai pela oração e pelo jejum".

Joel 2:12

"Agora, porém", declara o Senhor,

"voltem-se para mim

de todo o coração,

com jejum, lamento e pranto."        

Atos dos Apóstolos 14:23

Paulo e Barnabé designaram-lhes presbíteros em cada igreja; tendo orado e jejuado, eles os encomendaram ao Senhor, em quem haviam confiado.

Atos dos Apóstolos 13:2

Enquanto adoravam o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: "Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado".

Atos dos Apóstolos 13:3

Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram.

Ester 4:1

"Vá reunir todos os judeus que estão em Susã, e jejuem em meu favor. Não comam nem bebam durante três dias e três noites. Eu e minhas criadas jejuaremos como vocês. Depois disso irei ao rei, ainda que seja contra a lei. Se eu tiver que morrer, morrerei".

Neemias 1:4                     

Quando ouvi essas coisas, sentei-me e chorei. Passei dias lamentando-me, jejuando e orando ao Deus dos céus.

Lucas 2:37


"e então permanecera viúva até a idade de oitenta e quatro anos. Nunca deixava o templo: adorava a Deus jejuando e orando dia e noite."

Joel 1:14                  

Decretem um jejum santo;

convoquem uma assembleia sagrada.

Reúnam as autoridades

e todos os habitantes do país

no templo do Senhor, o seu Deus,

e clamem ao Senhor.

Salmos 35:13                      

Contudo, quando estavam doentes,

usei vestes de lamento,

humilhei-me com jejum

e recolhi-me em oração.

Daniel 9:3

Por isso me voltei para o Senhor Deus com orações e súplicas, em jejum, em pano de saco e coberto de cinza.

Daniel 10:3                       

Não comi nada saboroso; carne e vinho nem provei; e não usei nenhuma essência aromática, até se passarem as três semanas.

Mateus 17:20-21

Ele respondeu: "Porque a fé que vocês têm é pequena. Eu asseguro que, se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: 'Vá daqui para lá', e ele irá. Nada será impossível para vocês. Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum".

 

                       

 

Ministração sobre oração. Seja abençoado você também:

2º Semestre/2017

 

 

   CMC 1 (Curso de Maturidade Cristã) - Início das Aulas 04 de Agosto

 

   CMC 2 (Curso de Maturidade Cristã) - Início das Aulas 04 de Agosto

 

   CMC 1 (Curso de Maturidade Cristã) - Aulas aos Sábados - Início das Aulas Agosto

 

                                                                       
                    
                                                                 
 
 
 
 

Como ler sua Bíblia?

CNPJ 11.143.882/0001-60

Transferências Bancárias:

Consórcio:

Banco Bradesco 

Conta Poupança 211-9, Ag. 2268

Dízimos e ofertas: 

Banco Bradesco

Conta Corrente 211-9, Ag. 2268

 

 

 
 
 

A IGREJA

A igreja é uma comunidade que serve a Deus com os seus dons na família, na escola, no trabalho e na igreja, ou seja, cada crente é chamado para o serviço.

A igreja é composta e edificada através de discípulos. Não recrutamos membros, mas fazemos discípulos que serão agentes de transformação e de conquista da nossa geração para Deus. Onde eles estiverem, ali estará uma igreja atuando e cumprindo o propósito de expansão do Reino de Deus, pois igreja não é o local onde nos reunimos, mas sim cada membro do Corpo, um Corpo onde Cristo é o cabeça.

Através das células os crentes funcionam como um grande exército que, usando os seus dons, conquistarão a nossa geração para o Senhor.

Galeria de fotos: Alcance Kids 2017